OM

Qual o significado da palavra OM – ॐ ? Sr Yama (Deus da Morte) responde…

Na Katha Upanishad, o professor é o próprio Senhor Yama, a deidade que representa a “morte” e também  aquele que dá o fruto das ações aos indivíduos, sendo a vida humana apenas mais um deles. O aluno é o famoso Naciketas, um garoto sincero que por inocência foi mandado pelo próprio pai para servir o Senhor da Morte. Lá é conferido a ele o grande conhecimento que é o significado de OM, como é chamado pelo próprio Yama!

Foi um grande engano, o pai estava realizando um ritual onde ele dava todas as suas riquezas e o filho,  se vendo como uma posse de valor, “se oferece” e diz “Pai para quem você vai me dar?” O pai ignora o menino, mas depois da 3ª vez ele fala irritado: “Você! Eu vou dar para Yama!” Quando o pai percebeu o que ele disse, já era tarde, palavra dita é palavra cumprida e o garoto é mandado para o Senhor da Morte.

Sr. Yama, contudo, é muito ocupado e ele acaba esperando por 3 dias. Quando o Senhor da Morte chega, resolve presentear o menino com 3 desejos, um para cada dia de espera. No primeiro ele pede pelo bem estar dos seus pais. No segundo ele pede por um ritual que leve as pessoas ao paraíso. No terceiro ele pede para saber a verdade sobre o que acontece com uma pessoa depois que ela morre. “Uns dizem que nada existe, outros dizem que existe alguma experiência. Qual a verdade sobre tudo isso?” Se existe uma continuação para vida, então, existe algo que está além do poder da morte e o menino quer ser ensinado sobre esse conhecimento. Depois de uma longa introdução, onde o Senhor Yama verifica se Naciketas realmente está pronto, ele começa falando “OM” e explica qual o significado de OM, como podemos ver nos versos abaixo.

Versos sobre o significado de OM da Katha Upanishad:

अन्यत्र धर्मादन्यत्राधर्मात् । अन्यत्रास्मात् कृताकृतात् ।

अन्यत्र भूताच्च । भव्याच्च । यत्तत्प्श्यसि तद् वद । १.२.१४

Naciketas: “ (Oh Yama) isso que o Senhor vê, que está além do certo e do errado, da causa e do efeito, do passado e do futuro, por favor me conte!

सर्वे वेदा यत्पदमामनन्ति । तपांसि सर्वाणि च यद् वदन्ति ।

यदिच्छन्तो ब्रह्मचर्यं चरन्ति । तत्ते पदं सङ्ग्रहेण ब्रवीमि ॥

ओम् इति एतत् ॥ १.२.१५

Yama: “ Vou falar resumidamente, daquele objetivo que todos os Vedas apontam, devido ao qual todas as austeridades são feitas, aquele que desejando (as pessoas) vivem um vida de disciplina: OM!

एतद्ध्येवाक्षरं ब्रह्म । एतद्ध्येवाक्षरं परम् ।

एतद्ध्येवाक्षरं ज्ञात्वा यो यदिच्छति तस्य तत् ॥ १.२.१६

Essa palavra (OM) é de fato um nome para a causa do universo – Brahma, essa palavra é um nome para a realidade imutável. Seja lá o que se deseja, meditando no OM, se torna seu.

एतदालम्बनं श्रेष्ठम् । एतदालम्बनं परम्

एतदालम्बनं ज्ञात्वा ब्रह्मलोके महीयते ॥ १.२.१७

Esse (OM) é o melhor símbolo, (pois) ele é o símbolo para causa do universo e para a realidade (que transcende “nome e forma”). Tendo meditado nesse símbolo a pessoa se torna o próprio “OM”.

…. a tradução foi adaptada de acordo com os comentários de Sri Shankara …

O OM aparece em várias partes dos Vedas como: Chandogya, Katha, Mundaka e Mandukya Upanishad. Naturalmente, na Bhagavadgita e também nas Puranas ele é citado continuamente e é por isso que temos tantas explicações e histórias.

Popularmente no meio do Yoga, o OM é tratado como uma palavra auspiciosa capaz de amenizar os efeitos de ações inadequadas ou de potencializar, tirar os obstáculos de uma ação. Por essa razão quando se começa algo novo, uma aula ou se vai fazer algo importante, tradicionalmente se diz: OM!

Apesar de ser comum as pessoas cantarem “A – U – M” ou estender a duração do OM por vários segundos,  a tradição védica coloca que ele é uma sílaba única que possui apenas 3 tempos.

Nas disciplinas dos Yogis também está sempre presente, pois todas elas envolvem mantras e todo mantra começa com OM. É dito que os próprios vedas são um desdobramento do OM e todo mantra é apenas sua expansão. Já a sua repetição como prática espiritual é a última prática, pois tem todos os mantras contidas nela. É uma disciplina que é passada pelo mestre no dia que a pessoa se torna um “renunciante”.

Embora o OM tenha todas essas utilizações que estamos acostumados a lidar, ele é muito mais do que uma palavra auspiciosa. De acordo com o Sr. Yama, todo o ensinamento de vedanta pode ser resumido na palavra OM. Assim o que chamamos de autoconhecimento não é diferente do significado de OM e por isso que é dito que: “…todos os vedas apontam para o OM e é tendo ele como objetivo que existem as disciplinas e o estilo de vida de Yoga…”

 Durante o processo de autoconhecimento, o OM é um símbolo sonoro que representa:

  1. Deus, a causa desse universo.  E é por isso que o Senhor da Morte diz que meditar no OM traz a você o que se deseja. Meditar no OM nesse contexto é uma oração e através dela as pessoas obtêm o que desejam.
  2. A verdade sobre todo esse mundo de nomes e formas. A matéria prima onde todo o universo é projetado e a inteligência cósmica que está presente em todas as leis da natureza.
  3. A realidade do indivíduo, que está além do corpo físico, da mente e do espírito, aquilo que está livre da morte, exatamente como Naciketas queria saber.

E o aprendizado é entender como essas 3 entidades (Deus, o Mundo e o Indivíduo), aparentemente totalmente diferentes e opostas, são em realidade uma unidade, um único ser, indivisível. Como não é uma tarefa simples, pois todos os nossos condicionamentos são opostos a isso, existem as disciplinas, as posturas, as terapias, os satsangas e tudo que compõe uma vida de Yoga.

O OM está sempre presente na vida de uma pessoa. Quem ainda não iniciou suas práticas recorre ao OM para obter o que desejam no mundo, mesmo que eles chamem o OM por outros nomes. (“Ele não se importa, afinal todos os nomes são o OM!”)

Para o Yogi, o OM são os Vedas, o caminho de todas as disciplinas e ele recorre ao OM para preparar sua mente para esse conhecimento e descobrir seu significado em toda sua profundidade.

E, para o sábio, que já chegou ao fim de sua jornada espiritual, o OM é nada mais nada menos do que o significado da palavra “eu”.

De acordo com a tradição védica, o caminho espiritual, o auto-conhecimento é exatamente o entendimento da palavra OM. No começo quando estamos identificados com o corpo e a mente, usamos essa palavra para indicar nossa verdadeira natureza e na medida que ganhamos clareza, nos descobrimos como sendo o próprio OM. Assim como o Oceano, o mar e as ondas que aparentemente são tão diferentes podem ser reduzidos no entendimento da sua base a “água”, Deus, o mundo e a individualidade( o ego) são transcendidos no entendimento do OM.

EBOOK Yoga vedanta

Comments 0

    1. satsangaonline

      O significado de OM já foi vito acima. Harih é mais um nome para Deus.
      Quando se diz “Harih Om” estamos fazendo uma invocação, uma pequena lembrança de Deus para abençoar a nós mesmos, aquele que escuta e para que não haja obstáculos na comunicação entre as duas pessoas. É uma expressão de comunicação tradicional com esse objetivo apenas isso.

      Harih Om

      1. satsangaonline

        Encontrei essa semana um satsanga com o Swami Dayananda no Jornal o Povo! Não é legal?!?!?…
        e tem uma explicação ótima sobre Harih Om, que trasncrevo aqui (escrito por Claudio Azevedo em 25.03.10):

        “…O significado de harih om
        Satsanga em Saylorsburg Ashram, outubro de 2008
        Harih significa harati, ele elimina, harati päpäni, ele elimina os päpas, o resultado das ações erradas que são duhkhani, dor ou sofrimentos, duhkha-hetu, a causa do sofrimento.
        Hari é aquele que elimina o päpa, que significa duhkha, todas as formas de dor e as causas da dor.
        Então, quando você diz Hari ou Hara, você invoca Isvara na forma do removedor da dor. Nas duas palavras somente o pratyaya, o sufixo gramatical (que são as terminações “i” e “a”) é diferente; a raiz verbal hr [har] é a mesma.
        E Om significa avati, rakshati, ele protege, ele faz o bem para alguém. Om é aquele que abençoa, aquele que tudo sustenta, é a fonte de bênção e de sustentação de tudo. Isto é Om.
        Então, apesar de haranam (eliminar, remover) ser diferente de rakshanam (proteger), ao eliminar as causas de duhkha, Om rakshati, Om protege e abençoa, este é o significado de harih om.
        Hari Om e harih om são a mesma coisa. Om é Hari, o removedor de duhkha. E tudo o que é necessário é isso, remover duhkha, a dor, que significa que toda a sensação de ser pequeno, a ignorância e a confusão terão que desaparecer. Hari elimina tudo e o que sobra é Om.
        Também podemos dizer harih om como uma invocação: Ó removedor, abençoe. Pois ele é a fonte de todas as bênçãos.
        Essas palavras podem ser usadas sempre, harih om. No Veda também, quando se canta, fala-se “harih om”. Mas aí tem que se dizer: harih om; o visarga, que é o sufixo h, deve permanecer antes de Om. Om deve permanecer sem se grudar a nada, até como uma forma de respeito ao Om …”
        Link original: http://blog.opovo.com.br/yoga/o-significado-de-harih-om/

    1. satsangaonline

      Entrando um pouco no sânscrito, yogin é aquele faz uso do estilo de vida do Yoga.
      Esse sufixo “in” no sânscrito equivale ao nosso “eiro” do português.
      Por exemplo, dizemos que quem adora segui a prática de Asthanga é um “asthangueiro”, em sânscrito o termo correto seria “asthangin”.
      As palavras terminadas e “in” no masculino ficam com “ii -i longo” e no feminino recebem “inii”
      Assim a palavra base é yogin, no masculino temos o “yogii” e no feminino a “yoginii”.
      Já o termo Yogue é uma adaptação para o português para sua utilização no cotidiano e evitar confusão. No sânscrito, o plural de yogii é “yoginah” por essas e outras alguns autores optam pela utilização da palavra “yogue” para se referir ao praticante de Yoga (masc. e fem.)

      Harih Om

  1. Carolina Lopes

    Olá, Jonas! Tudo bem? É legal mesmo encontrar este artigo com Swami Dayananda! Os temas que você abordou com tanta profundidade tem me acompanhado desde então… Muito obrigada! Harih Om! Om Tat Sat! Carol

  2. Pingback: Como ser um Yogui de sucesso? | Satsanga Online

  3. Diana Fichman Monteiro de Souza

    Foi dito que Om tem 3 tempos? Um tempo = O, outro tempo = M. E o terceiro? Consoante, vogal e… ?
    Deus, mundo, Indivíduo… Engraçado! O Cristianismo também trabalha sobre o número 3. Pai, filho, espírito santo. Deus, o homem, e…?
    Dá pra fazer alguma analogia?

    1. satsangaonline

      Namaste Diana,
      Na sua formação o OM possui três letras: A – U – M.
      A + U forma o som do O depois ele se junta com o M.
      Em termos de tempo é colocado dessa forma: o “O” por ser uma vogal composta (a+u) possui sozinha dois tempos e qualquer vogal precedida de “M” ganha mais um tempo na sua pronúncia. Assim Om possui 3 tempos.
      É dito também que cada tempo tem a duração de uma “piscada de olho” (sem pressa).
      Só para ter uma noção de que tempo estamos falando, na prática o mantra deve ser aprendido direto do professor.
      Quanto ao número 3, os Vedas apresentam vários modelos de divisão do mundo e experiências: no 2 (sujeito/objeto e Consciência/Formas), no 3 (indivíduo/mundo/Deus ; 3 qualidades da criação chamadas de Gunas ; passado/presente/futuro), no 5 (5 elementos, 5 corpos do indivíduo…), dentre outros.
      Cada modelo desse tem como objetivo apresentar a realidade em uma perspectiva trazendo clareza para o estudante. Já no modelo católico (Pai, Filho e Espírito Santo) parece ser mais uma divisão de fé, um modelo de adoração. Talvez seja um bom tema de estudo saber o que os Católicos afirmam através desse modelo e se tem alguma relação com o OM ou os outros modelos dos vedas. Há de ter pontos em comum!

      harih om
      Jonas

Deixe uma resposta