A Função de Mantra, Puja e Seva.

Vimos no texto anterior duas das cinco disciplinas, tapas, úteis ao autoconhecimento. Vejamos agora as outras três.

3. MANTRA

A repetição em voz alta de mantras e orações chama-se parayana. Além da mente, que é usada exclusivamente na prática de japa, em parayana a voz também está envolvida. E, em geral, a regra é que quanto mais instrumentos são envolvidos em uma ação mais fácil é a manutenção da concentração e absorção naquela atividade. É mais fácil repetir um mantra usando a mente e a voz do que repeti-lo usando apenas a mente.

Na vocalização de um mantra também está envolvida a liberação de certas inibições que normalmente se manifestam na fala, no volume e no tom com os quais se fala. Fazendo a pessoa ‘soltar a voz’, é possível pacificar em alguma medida as causas emocionais que a fazem ter a voz contida. Às vezes, em questões emocionais, atenuando-se o sintoma atenua-se também aquilo que o causou.

4. PUJA

Puja é um ritual de oferecimento onde se usa uma imagem ou pequena estátua como recipiente dos oferecimentos de mantras, flores, incenso, frutas, etc. A puja é bastante útil quando o praticante não tem ainda a capacidade física e mental de ficar quieto e de olhos fechados concentrando-se nas suas orações e contemplações. Na puja, além da mente e da fala, envolvidos na prática de japa e parayana, o corpo físico também está implicado, o que facilita a absorção na atividade e consequentemente impede que a mente vagueie pelos seus padrões habituais automáticos.

A puja pode tomar a forma tanto de um simples oferecimento de flores e orações para a foto de uma deidade quanto de um elaborado ritual de fogo, no qual várias injunções, qualificações prévias, e materiais estão envolvidos.

A puja, além de uma inteligente maneira de se começar uma disciplina de concentração e meditação, é também um excelente modo de se ganhar punyam, mérito, que – dizem os Vedas – atenuará ou eliminará os obstáculos futuros do praticante. De fato, como o esforço do corpo físico (além do esforço da mente e da fala) de coletar vários materiais, preparar o local, gastar recursos, etc., está implicado na execução de uma puja, é dito que ela produz mais mérito do que as disciplinas de japa ou parayana.

5. SEVA

Seva é o serviço prestado ao professor e à comunidade de estudo enquanto se está estudando. Abarca tarefas como varrer o chão, limpar a sala de estudos, cortar legumes, etc. O ensino tradicional de Yoga e Vedanta se dá em um ambiente fechado, um ashram, onde alunos e professores convivem. A seva não é apenas um trabalho que se faz à parte das disciplinas e do estudo, mas é ela mesma um tapas, uma disciplina importante. As se realizar uma tarefa junto com outras pessoas várias situações difíceis e conflitos surgem naturalmente. Às vezes, uma pessoa quer trabalhar menos e finge varrer o chão esperando que você dê duro e faça todo o serviço. Às vezes, é você mesmo que se comporta assim. Em todo caso, se você está disposto a aprender a se relacionar conscientemente com você mesmo e com os outros, tendo sempre a mente nas suas mãos, seva é uma ótima oportunidade de começar a fazer isso.

Nenhuma das disciplinas mencionadas aqui acontecem sem a presença do professor. É ele quem dirá por quanto tempo você deve fazer sua japa e com qual mantra, como você deve lidar com suas emoções perturbadoras surgidas na meditação, e assim por diante. É muito fácil qualquer disciplina tornar-se uma das nossas várias prisões se ela não for acompanhada de perto por um professor amoroso e competente, que siga uma tradição de ensino.

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search