Hermógenes, o mensageiro dos Deuses

Se é verdade, como diziam os latinos, que nomen est omen, nome é profecia, então isto é especialmente verdade no caso do já saudoso professor Hermógenes, falecido no último dia 13. Hermógenes – aquele que nasceu de Hermes, o mensageiro dos deuses – foi certamente um enviado dos deuses a esta terra com a missão de deixar uma mensagem profunda sobre o que é yoga, nestes tempos em que este nobre estilo de vida tem sido associado cada vez mais à performance física e nada mais.

Indo muito além dos aspectos físicos mais conhecidos desta prática, Hermógenes deixa um sólido legado filosófico e devocional para os atuais e futuros yogis, além de ser – pela sua própria figura serena e alegre que fica na memória dos seus alunos e admiradores e pela história da sua longa e produtiva vida – uma fonte de inspiração para muitos praticantes espirituais.

Escritor fecundo, tendo escrito mais de trinta livros, o professor não se limitava a apenas explicar as técnicas e conceitos fundamentais do yoga, mas aplicava seu inegável dom literário para traduzir os mais altos princípios desta filosofia em uma linguagem poética cuja beleza e simplicidade nos fazem facilmente intuir a essência do ensinamento espiritual que, de outra forma, em dura linguagem filosófico-conceitual, seria difícil de captar. Deixamos o leitor com uma poesia do querido e eterno professor.

Imortalidade 

Tenho nascido à morte condenado
Tenho morrido condenado à nascer
Que sentido tem esse nascer-para-morrer,
esse morrer-para-nascer,
e não mais nascer?
Apego à vida e temor à morte
têm-me negado a Vida
que faz a morte morrer.

                     (Prof. Hermógenes, 1921-2015)

 

 

Showing 0 comments
  • Helena G
    Responder

    Não sabia nada de yoga lá pelos meus quinze, quando encontrei na biblioteca pública da cidade onde nasci o livro Yoga para Nervosos.
    Do instante em que o abri, ao presente que dei à minha mãe e ao que fui trilhando até então, um mundo. De coisas, pessoas, experiências, encontros, desencontros, tentativas, ensaios. Sou grata aos ensinamentos do professor, sobretudo à possibilidade de descortinar uma filosofia que produz a cada dia o sentido mais objetivo do que busco há tanto tempo nessa espiral.

  • Luciano Giorgio
    Responder

    Namaste!

    Obrigada!
    Fiquei triste pela grande perda. Mas ao mesmo tempo em sentimento de paz e serenidade, pois sabemos que este grande homem se transforma definitivamente em ser de luz, a nos guiar pelas vielas escuras da vida, através de seu exemplo e de suas palavras impressas.
    Nos unamos em sentimento de gratidão e amor pela yoga e pelo nosso grande e eterno mestre, professor Hermógenes…saudações querido! Vá em paz!

    Abraços cheio de luz!

    (Mandado por Orcinia, via e-mail)

  • Luciano Giorgio
    Responder

    Lindo texto e linda homenagem ao Prof. Hermógenes.
    Eu estou muito tocada com o falecimento deste grande Mestre, cuja vida é realmente uma inspiração para todos nós.

    harih om

    (Mandado por Maria do Carmo Araújo, via e-mail)

  • Henrique Almeida
    Responder

    Também sou muito grato ao grande professor Hermógenes. Graças a um de seus livros é que primeiro aprendi sobre o que era yoga e despertei meu interesse. No dia que soube que havia falecido, peguei um de seus livros e encontrei uma poesia muito bonita que diz muito sobre sua vida:

    “Passa de meio dia.
    O declínio começou,
    Aqui, no vale, as sombras chegam mais cedo.
    Subirei a montanha.
    Lá no alto os últimos fulgores do sol
    serão meus.
    E quando a noite chegar vai me encontrar
    lá no alto.”
    (Hermógenes)

    Saudações ao professor Hermógenes.
    Harih Om

  • Edgard Tecco
    Responder

    Com toda a saudade que perpetua sua rica existência a serviço do Yoga e da felicidade.
    ENTREGO
    CONFIO
    ACEITO
    AGRADEÇO
    Harih om

    (Mandado por Maria Matos Socorro, via e-mail)

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search