Por que existe tanta injustiça no mundo?

Todo ser humano tem um senso de justiça e igualdade, que quando ameaçado causa muito desconforto. Gostaríamos que todos tivessem as mesmas oportunidades, o mesmo acesso a educação e aos recursos. Contudo, quando observamos a injustiça no mundo, vemos tantas disparidades que fica difícil de acreditar que possa existir um “Deus”, que esteja tomando conta de tudo isso e que seja tão parcial. Por que tanta violência contra pessoas indefesas? E os animais? E o tráfico de drogas e os crimes hediondos como pode tudo isso? Por que existe tanta injustiça no mundo?

Segundo a tradição védica, essa percepção de que o mundo é injusto é uma visão distorcida da realidade, que é compreensível devido as limitações do ponto de vista de um ser humano e a chave para o entendimento do equilíbrio do universo é a chamada “Lei do Karma”.

Os Vedas estabelecem a Lei do Karma que, resumidamente, diz que nada no universo está livre de causa e efeito ou ação e reação. O nascimento de uma pessoa em uma determinada família, país, época e etc é resultado das ações de outras vidas e aquilo que é feito nessa vida, quando não colhido nessa, é carregado para a próxima, nenhuma ação passa impune ou sem os devidos méritos.

Se for questionado se isso não é uma crença, a resposta é sim, é uma crença, pois, levando em consideração que ninguém tem acesso a experiência pré-nascimento ou pós-morte, o que acontece antes e depois não pode ser provado nessa vida. E esse, afinal de contas, é o papel dos Vedas, preencher essa lacuna nos assuntos onde não temos acesso, de modo que assim os Vedas são vistos como um meio de conhecimento para o ser humano.

Já que dizer que não existe “nada” também não pode ser provado, para uma pessoa que não tem acesso aos Vedas, existem duas crenças para se escolher. Entretanto, a lógica também nega a possibilidade de descontinuidade do indivíduo. Se o objetivo da vida for a morte, a anulação completa, por que uma pessoa iria nascer em primeira instância? Para ir da morte para morte? Se objetivo da vida fosse a morte, não seria necessário nascer. E qual seria o propósito de tudo aqui, se no final a gente fosse jogar tudo fora?O resultado de todo uma vida simplesmente desaparece?

A lógica não suporta a crença da “descontinuidade” e por fim, na prática, nossa experiência também não. Toda ação gera um resultado, essa é nossa experiência, e tudo que começa, tem uma causa, nada está realmente está sendo criado, tudo está a todo tempo se transformando, essa não é nossa experiência? Por que nossa vida seria diferente? A experiência também não é harmônica com a idéia de que a vida termina em um “abismo para não existência”. Existem ainda algumas experiências particulares de “mediuns” e pessoas especiais que afirmam ter algum contato com o pós-morte ou com suas vidas anteriores, que reforça ainda mais a idéia que a história do indivíduo não começa nem termina aqui.

Voltando ao nosso assunto principal que é o sentimento de parcialidade e desigualdade, se pudéssemos correlacionar uma injustiça que uma pessoa sofre com uma causa, uma ação do passado dessa mesma pessoa, não iríamos ter o mesmo senso de desigualdade, mesmo diante das maiores atrocidades e sofrimentos que uma pessoa possa passar. Ninguém tem pena de um prisioneiro quando se entende porque ele está preso. Por mais que possamos ter compaixão por ele e de verdade não desejar o seu mau, o entendimento de toda a situação faz com que o que poderia ser um sentimento de injustiça e parcialidade seja balanceado.

Agora se tirarmos uma foto da sociedade e vermos que simplesmente uns tem liberdade e outros são obrigados a viver na prisão, naturalmente, concluiremos que existe o caos e a desarmonia.

Sendo assim, devido as nossas limitações de conhecimento sobre o presente, o passado e o que dirá o futuro, é compreensível considerar esse universo um ambiente injusto e desarmônico. Entretanto, com auxílio da visão dos Vedas, que aponta para Lei do Karma, com apoio da lógica, que diz que é incoerente uma vida sem continuidade e da nossa experiência, que nega que qualquer evento desse universo possa estar livre de causa e efeito, a visão de que todos estão plantando e colhendo os frutos das suas ações se estabelece como verdadeira, e então é possível relaxar e se sentir seguro, mesmo com todas as diferenças da nossa sociedade.

injustiça no mundoAtravés de uma foto simples, de uma patinador dançando no gelo, podemos inferir uma desarmonia, que dá margem a insegurança e ao medo, mas somos capazes de acomodar essa percepção, na visão do movimento como um todo, o que gera admiração e a apreciação da beleza assimétrica presente em um instante como esse.

Nesse universo não existe o bem, o mau, nem ao menos a injustiça no mundo, são apenas a curvas da dança do Senhor “Shiva”, todas as pessoas estão colhendo o que plantaram e estão plantando o que vão colher amanhã, assim, posso apreciar as diferenças desse universo, tomar para mim a responsabilidade dos meus atos e colocar “Deus” no seu devido lugar, como aquele que dá o fruto das ações.

Showing 5 comments
  • Vicente
    Responder

    Muito bacana a explicação! Obrigado!!! Om

    • solange
      Responder

      Infelizmente há seres humanos sem um mínimo de bom senso e de amor ao próximo. O que dói bem no fundo da nossa alma é conviver com pessoas estudadas e de bom conceito na sociedade serem desumanas e injustas e isso nos deixam arrazados quando presenciamos pessoas assim praticarem coisas ilícitas e vergonhosas com outras pessoas inocentes e frágeis.No caso das crianças. Quem também apoia e cala também sao suspeitas.

  • Daniela Oliva
    Responder

    Mas porque sofrem os animais???porque eles não possuem karma…

  • lucasfigueira.geo@gmail.com L
    Responder

    “Nesse universo não existe o bem, o mau, nem ao menos a injustiça no mundo, são apenas a curvas da dança do Senhor “Shiva”, todas as pessoas estão colhendo o que plantaram e estão plantando o que vão colher amanhã, assim, posso apreciar as diferenças desse universo, tomar para mim a responsabilidade dos meus atos e colocar “Deus” no seu devido lugar, como aquele que dá o fruto das ações.”

    Om

  • John
    Responder

    Eu já acho que esse mundo é uma pura de uma injustiça, vejam só alguns nascem belos, outros feios, uns nascem com saúde, outros sem, uns nascem ricos, outros nem com o trabalho de uma vida inteira coneguem nada. Difícil enteder hein. Se já no nascimento são julgados.

Deixe uma resposta para Daniela Oliva Cancelar resposta

Start typing and press Enter to search